sábado, 12 de julho de 2014

Síntese Histórica Por Ordem Cronológica da Origem dos Dogmas da Igreja Romana

Colocensses 3:17; I Timóteo 4:1,2
A.D.(Ano Domini) 310 - Começa a vida monástica por Antonio, de Alexandria, no Egito, mas esses primeiros monges procuravam no trabalho comum, que faziam, o seu próprio sustento.
Em 370 - Principia o uso dos altares e velas, pelo fim do 3° século. O culto dos santos foi introduzido por Basilio de Cesareia e Gregório Nazianzeno. Também apareceu pela primeira vez o uso de incenso o turibulo na igreja, pela influência dos prosélitos vindos do paganismo.
Em 400 - Paulino de Moia cria que se reze pelos defuntos, e ensina o sinal da cruz feito no ar.
Em 590 - Gregório o Grande, Origina o purgatório.
Em 607 -  O assassino imperador Phocas dá ao bispo de Roma a primazia universal sobre a cristandade, depois do 2° concilio de Constantinopla.
Em 609 - O culto á virgem Maria é obra de Bonifácio IV. E a invocação de santos e anjos é posta como lei da igreja.
Em 670 - Começa a falar-se em latim a missa, língua morta para o povo, pelo Papa Vitélio.
Em 758 - No 2° concílio de Nicea convocado a instância da infame imperatriz Irene, foi estabelecido o culto á imagens e a adoração da cruz e relíquias dos santos.
Em 795 - O incenso foi posto por lei nas igrejas por Leão III.
Em 803 - Foi criada a festa de Assunção da Virgem pelo concilio de Maguncia.
Em 818 - Aparece pela primeira vez nos escritos de Pascácio Radberto, a doutrina da substanciação e a missa.
Em 884 - O Papa Adriano III aconselha a canonização dos santos.
Em 998 - E estabelecida a festa aos mortos, o dia de finados, por Odilon.
Em 1000 - A confissão auricular generaliza-se e os ministros da igreja arrogam para si o "ego te absolvo". A missa começa a chamar-se sacrificio, e organizan-se  as procissões e romarias.
Em 1003 - O Papa João XIV aprova a festa das almas "fiéis defuntos" que Odilon criara primeiro ( em 998).
Em 1059 - Nicolau  II cria o colégio dos cardeais " conclave".
Em 1074 - O papa Gregório VII, aliás, Hildebrando, decreta obrigatório o celibato dos padres.
Em 1076 - É declarada a infabilidade da Igreja pelo mesmo Papa.
Em 1090 - Pedro, O Ermitão inventa o Rosário.
Em 1095 - Urbano II cria as indulgências plenárias.
Em 1125 - Aparece pela primeira vez nos canones de Leão, a ideia da imaculada concepção de Maria, porém São Bernardo de Clairvaux refutou tal ideia.
Em 1164 - Pedro Lombardo enumera 7 sacramentos; enquanto Jesus Cristo ordenara apenas dois.
Em 1200 -  O concilio se Latrão impõe a transsubstânciação e a confissão auricular.
Em 1227 - Entra a campanhia na missa por ordem de Gregório IX.
Em 1229 - O concilio de Tolouse estabelece a inquisição, que foi confirmada em 1232 por Gregório X e logo entregue aos dominicanos. Este mesmo concilio proíbe a leitura da sagrada escritura ao povo.
Em 1264 - Urbano IV determina pela primeira vez a festa do corpo de Deus (Corpus Crysti).
Em 1300 - Bonifácio VIII ordena os jubileus.
Em 1311 - Inicia-se a primeira procisão do S.S. sacramento.
Em 1317 - João XXII ordena a resaza "Ave-maria".
Em 1360 - Começou a hóstia a ser levada em procissão.
Em 1414 - O concilio de Constança definiu que a comunhão ao povo deve ser  a hóstia somente, sendo o cálice (copo) reservado para o padre. Os concílios de Pisa, Constança e Basileia  declararam a autoridade do concílio superior a autoridade do Papa.
Em 1448 - O concílio de Florença abre a porta ao purgatório, que Gregório o Grande havia criado.
Em 1563 -  O concilio de Trento definiu que a tradição é tão valiosa como a Palavra de Deus. E aceitou os livros apócrifos ( não inspirados) como canônicos.
Em 1854 - Pio IX proclama o dogma da imaculada conceição de Maria.
Em 1870 - O concilio do Vaticano, declara a infabilidade do Papa.
Com isto secou-se a fonte das inovações romanas, operação do mistério da injustiça. II Tessalonicensses 2:7 e Apocalipse 17:5 e 18:4.
Conjunto de doutrinas e ordens que nem Jesus Cristo nem seus apóstolos jamais ensinaram. Bem disse o Divino Mestre:"Em vão, pois, me honram  ensinando doutrinas e mandamentos que vem dos homens". Mateus 15:9.
Pode uma pessoa concienciosamente confiar a salvação da sua alma aos caprichos dos homens?Pode por ventura, alguma ou todas as inovações  humanas regenerar o coração, purificar do pecado, remover a culpa, tranquilizar a consciência e salvar a alma? Mil vezes não.
O apostolo São Pedro em virtude da Palavra de Deus, diz: " Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade". II Pedro 1:16. R continuando por divina ordem :"Esta pedra(Jesus Cristo) que foi reprovada por vós arquitetos, foi posta pela primeira fundamental do ângulo; e não há salvação em nenhum outro, porque do céu abaixo nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos". Atos 4:11 e 12.
Somente Jesus, O Filho de Deus, foi quem ofereceu o único sacrifício de si mesmo uma vez sobre a cruz para a nossa redenção e eterna salvação. Ele, pois, é o Senhor, Salvador,  Juiz  e Rei ! Timoteo 6:15.
Leia João 3:16.

Dos livros religiosos: Comp. Publicadora;Osterhus;4500 Broadway, Minneapolis, Minn, U.S.A.

Obs: este folheto estava entre os pertences  de um pastor já falecido e que possivelmente deve datar de 1960.  


  

Nenhum comentário:

Postar um comentário